Embalagens, cadeia de frio e segurança alimentar


Embalagens, cadeia de frio e segurança alimentar

Durante o processo de pós-colheita, é preciso seguir uma série de passos para garantir que seja entregue o melhor produto ao consumidor. Seleção, lavagem, processamento, centrifugação, o processamento mínimo precisa de uma série de cuidados, mas eles não terminam aí.

Por mais que o pós-colheita seja feito por uma equipe de qualidade e com máquinas de primeira linha, os cuidados para que não haja degradação do alimento devem se manter até a chegada no consumidor. Isso é mais importante ainda se tratando de FLVs, que possuem um prazo de validade limitado e não muito longo.

A embalagem é o principal meio de proteção para os alimentos durante o transporte. Além de evitar danos durante a logística de entrega, a embalagem aumenta o tempo de vida dos FLVs, por regular o contato destes com o ar.

Após a embalagem os alimentos passam por diversas etapas de armazenamento e transporte até alcançarem os mercados. A cadeia de frio é a principal responsável por manter a qualidade dos FLVs durante essas etapas. Ela é responsável por preservar as condições de refrigeração e garantir a conservação dos alimentos durante o armazenamento e transporte, fases sensíveis e muitas vezes as mais frágeis em relação a controle de qualidade de alimentos.

Como esses produtos precisam de ambientes adequados para se manter em boas condições e preservados, é preciso que haja monitoramento constante de variáveis ambientais, com medições constantes para controlá-las. Como cada tipo de alimento tem características iniciais distintas, é preciso separar na cadeia de frio alimentos que precisam de temperaturas similares, seja para resfriamento ou congelamento!

Com 30% dos alimentos produzidos no mundo sendo desperdiçados, precisamos fazer nossa parte para diminuir os desperdícios. Um processo correto de embalagem e uma cadeia de frio com boa gestão ajudam o produtor a economizar e atingir esse ideal.



Gostou? compartilhe!